segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Hitler e Lenin jogando xadrez- HITLER E LÊNIN PLAYING CHESS

ÓLEO SOBRE TELA
50X70


Sou professora de Literatura, Língua Portuguesa e Inglesa, leciono estas disciplinas numa escola estadual, no Estado do Rio Grande do Sul. Entrei em contato com o xadrez em minha casa, através do meu filho mais velho, que tinha aprendido com primos. Houve uma transformação tão radical nele, ele se tornou tão raro, tão especial, que atribuí essa mudança ao xadrez e a partir daí, passei a admirar esse esporte que, tão diferente de mim mesma,  usa a matemática como instrumento e linguagem da ciência, da técnica e do pensamento organizado.

O filho  mais velho ensinou ao mais moço e eram os dois jogando xadrez, e este também se transformou aos meus olhos. Eu sentia orgulho de ver meus dois filhos envolvidos numa atividade que eu adivinhava ser tão nobre, por ter lido que xadrez é cultura, uma atividade lúdica de origem milenar e que encerra um corpo de conhecimentos e experiências que constituem patrimônio cultural da humanidade. Então pesquisamos e  fiz um projeto para minha escola  baseado  nas  afirmações de  que o xadrez estimula o desenvolvimento das habilidades cognitivas, tais como: atenção, memória, raciocínio lógico, inteligência, imaginação, capacidades fundamentais no desenvolvimento futuro do indivíduo e ainda estimula a auto-estima, a competição saudável e o trabalho em equipe. O xadrez ainda podia  ser utilizado como elemento estruturador do tempo livre dos alunos e proporcionar  prazer em seu estudo e prática,  era um jogo nobre, de regras claras e específicas, jogado entre cavalheiros,e o mais importante;  ditava uma pauta ética e a escola é um momento propício para a aquisição de valores morai. Devido às suas múltiplas virtudes, o xadrez, contribuindo  para a formação de melhores cidadãos era perfeito para ser inserido em nossa escola( e em todas as outras).

Meus dois filhos me ensinaram xadrez,  meu projeto foi aprovado e hoje tenho uma sala de xadrez na escola, onde há sete mesas e tabuleiros e os alunos jogam xadrez em uma tarde por semana.E eu também ensino e jogo xadrez com minha filha!
Isto foi uma introdução para explicar que me deparei com uma foto que me deixou muito surpresa.

                                                
 Hitler, ainda jovem (apesar de não parecer ter 20  no desenho que  teria sido feito  pela professora de arte do ditador alemão, a judia Emma Lowenstramm,) jogando  xadrez com Lênin, em Viena, no ano de 1909. À época, Hitler trabalhava como artistA na cidade austríaca, enquanto Lênin vivia no exílio. No verso está a assinatura de ambos. Especialistas questionam a autenticidade da obra, em especial a presença de Lênin. Em 1909. Nesta  mesma época, Lênin estaria perambulando pela Europa, após ser exilado. A  historiadora Helen Rappaport, autora de um livro sobre o período em que Lênin esteve exilado, considera a imagem um fruto da imaginação. “Em 1909, Lênin estava na França e não há evidências de que ele tenha estado em Viena. Além disso, desde 1894 Lênin já estava careca, com cabelo em apenas um dos lados da cabeça”.

Um perfil psicológico feito em 1943 e divulgado por uma universidade nova-iorquina, analisa Adolf Hitler como um ser humano  rancoroso, que  não tolerava críticas e tinha tendência a menosprezar as pessoas e a buscar vingança; era incapaz de aceitar uma brincadeira e um criminoso compulsivo, que se mostrava perseverante diante da derrota e tinha uma grande obstinação e confiança em si mesmo e era possuidor de um grande componente feminino em sua  constituição; possuía muitas fraquezas, nunca tinha realizado trabalhos manuais (Adolf Hitler pintava , fato que contraria o trabalho do psiquiatra e mostra que em tudo há controvérsias) ou praticado esportes e que era um soldado "desagradavelmente submisso". Sexualmente, Hitler como um masoquista passivo e caracterizado por sua homossexualidade reprimida e poderia ter cometido crimes devido, em parte, ao desprezo por suas próprias fraquezas e como vingança pelos abusos sofridos durante sua infância, mas viveu com Eva Braun por anos e apesar de se dizer que ela passou por alguns momentos humilhantes, e que Adolf Hitler dizia, em sua frente que "um homem extraordinariamente inteligente tinha que ter uma mulher burra e primitiva", em ela o seguiu até  o  Führerbunker onde, quando,em 29 de abril de 1945 eles casaram e  Eva estava tão animada que, na hora de assinar a certidão de casamento, ela se esqueceu e começou "Eva B...", logo corrigindo para "Frau Eva Hitler". Isso mostra que ela estava nervosa, talvez excitada, talvez feliz!!!
 Qualquer que tenha sido a forma de amor entre eles, durou por anos, até à morte. Então, ele quis uma companhia humana ao seu lado; valorizava alguma vida humana...

Considerando isso e que Adolf Hitler gostava de pintar, temos uma personalidade altamente controversa. Por incrível que possa parecer, Adolf Hitler, o responsável por milhões de mortes, era um artista que arriscou-se em quase todas as áreas do desenho: do arquitetônico (edifícios, planejamento de cidades), às caricaturas, retratos, nus, móveis e, até, paisagens, flores e cães. Alega-se que Hitler tenha pintado por volta de mil aquarelas.

Sem levar a discussão o mérito de sua obra, aquele que viria a ser o líder supremo do nazismo foi um artista  que viveu da arte bom período de sua vida.

Em 1907, Hitler candidatou-se à Academia de Viena de Belas Artes. Foi reprovado e ao buscar por explicação, informaram-lhe que faltava-lhe talento para a pintura artística, principalmente pela parca valorização da forma humana.

Além de ser um  pintor e um estudioso das artes plásticas, arquitetura, escultura, música e pintura, Hitler era um apaixonado por ópera e especialmente por Wagner. Admirador da arte da representação e leitor voraz.



Inesperadamente, mesmo considerando estas paixões,  o caráter de Hitler era um enigma. O homem era um mosaico, uma personalidade controversa. Ao me  deparar com esta foto: Hitler também um conhecedor do xadrez, fico ainda mais intrigada. Como pode um jogador de xadrez, um jogo que exige tantas qualidades  que  contribui para que o homem adquira tantas   habilidades, inclusive éticas,  tenha se transformado no líder da Alemanha nazista, no führer? Que incógnita!!!A vida de Adolf Hitler corrobora a afirmação de que nunca conhecemos um ser humano, nem do que ele é capaz e que, por força das identidades múltiplas que se assume em cada circunstancia do cotidiano, todos nós somos uma incógnita até que a nossa conduta ética, profissional e democrática seja testada em situações extremas.
       “ A partida de Viena-1909
Hitler e Lenin jogando xadrez”


HITLER E LÊNIN PLAYING CHESS
 Chamo a atenção para o fato de eu ter inserido na tela   “ A partida de Viena-1909”, uma outra tela minha,
 " O livro de xadrez", que está no link  http://dorishssg.blogspot.com/2011/12/mais-telas-com-o-tema-xadrez-chess-on.html
O que eu queria era colocar  um pouco de cor na tela, mostrando que num mesmo espaço podem estar o bem e o mal, o claro e o escuro, a pureza e a astúcia, a derrota e a vitória, as pretas e as brancas...

The Jewish painter Emma Löwenstamm (1879-1941) brought Hitler and Lenin to Vienna in order to paint them together. She invited both to the studio of Julius von Ludassy. In the Donau-Kurier Ingoldstadt dated 19 July 1984 Bernd Kallina mentions in his article the drawing that was made at the time, on which Lenin is supposed to have written the words “Lenin with Hitler” on the back. It is further mentioned that the two met in Vienna in 1909 and played chess together.
http://www.chessbase.com/columns/winter01.asp













5 comentários:

  1. Achei lindo, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Excelente trabalho historico! A pesquisa enriquece muito o trabalho! Se de fato este confronto aconteceu, trata-se de uma partida historica nos rumos daquela sociedade do inicio do seculo 20, visto que ambos provaram ser eximios estrategistas!
    Estupendo trabalho!

    ResponderExcluir
  3. Genial! O texto, bem explicativo e a pintura bem composta! Com objetos e cores lindas!

    ResponderExcluir
  4. Muito bem - falando diretamente à Dóris, gostaria de parabenizá-la pela postagem (por enquanto é só o que li em seu blog, mas pretendo observar mais coisas) -- posso me apresentar como instrutor de xadrez, pois trabalhei ensinando o jogo, durante mais de seis anos, aqui em Curitiba, entre 1992 e 1998 --
    há muitas coisas que gostaria de falar a respeito de xadrez, e sobre história, sobre as personagens envolvidas na pintura em questão, mas por enquanto vou me restringir a citar uma conclusão importante da blogueira:

    "A vida de Adolf Hitler corrobora a afirmação de que nunca conhecemos um ser humano, nem do que ele é capaz -- e que, por força das identidades múltiplas [...] todos nós somos uma incógnita até que a nossa conduta ética, profissional e democrática seja testada em situações extremas."

    Eu acrescentaria a isso uma conclusão um pouco óbvia (perdoem a falta de humildade:) -- não é por saber ou não jogar xadrez que um ser humano é mais especial ou melhor (ou mais nobre) que outro --

    mas que o xadrez é realmente uma atividade muito educativa, que estimula muito a inteligência, a sensibilidade e as habilidades de convívio (além de estimular também características não exatamente positivas -- e esse é um lado polêmico e pouco discutido, a meu ver) -- enfim: o xadrez pode ser muito benéfico, isso é fato. Mas há uma importância grande em manter o equilíbrio entre físico, mental e espiritual...

    O assunto é realmente fascinante, me desculpem se me estendi (ou fui um pouco vago) nessa primeira participação aqui -- eu adoro blogs, especialmente os com caixas de comentários, e vocês podem me conhecer mais por aqui:

    http://ossurtado.blogspot.com

    saudações e até uma próxima.

    Ivan

    ResponderExcluir